JEJUM INTERMITENTE E MASSA MAGRA

13592570

❤️Por mais artigos científicos disponíveis na internet, sempre existem pessoas preocupadas com o jejum e a perda de massa magra. Sempre alguém pergunta: “Jejuar não vai degradar meus músculos ?”
🍖Deixe-me ser direta: NÃO
A quebra normal de proteínas é da ordem de 75g/dia, que cai para cerca de 15-20g/dia durante a privação de alimentos…
Ahh tá, mas não vou ter energia para treinar, trabalhar… Terá!
De onde vem a glicose ? Bem, gordura é armazenada como triglicérides (TG) e a maioria do corpo pode usá-los diretamente como fonte de energia.
🍅Às vezes você vai ouvir um profissional dizer que o cérebro “precisa” de 120g de glicose por dia para funcionar. Sim, isso pode ser verdade, mas NÃO significa que você precisa COMER 120 de glicose por dia. Seu corpo vai fabricar a glicose da qual precisa a partir da sua gordura armazenada. Se você decidir COMER os 120 ao invés, o seu corpo vai simplesmente deixar a gordura no seu traseiro, quadris e cintura. Isso acontece porque o corpo vai queimar o açúcar ao invés da gordura.
🍓Achar que o corpo irá destruir massa magra quando ficar em privação de alimentos, é mais ou menos como juntar madeira para acender a lareira. Mas assim que você precisa de calor, você desmonta o sofá e põe fogo nele. Não tem sentido pensar assim, e não é a maneira como nossos corpos foram feitos para funcionar.
🐓Afinal de contas, por que o seu corpo iria armazenar excesso de energia como gordura, se ele pretendia queimar proteínas assim que a comida acabasse ? Proteína é tecido funcional e tem muitas funções além de armazenamento de energia, enquanto a gordura é especializada em armazenar energia. Não faz sentido que você usaria gordura para obter energia, ao invés de proteína ? Por que pensaríamos que a Natureza é doida?
🐽Os nossos depósitos de gordura existem para serem usados quando não há o que comer. Não está lá porque é bonito, ok ? Então, quando estamos em jejum, nós “comemos” nossa própria gordura. Isso é natural. Isso é normal.
🐣O GH ajuda neste processo.
Baseada em Mark Sisson

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *